ESQUINA CULTURAL

Convivendo com sintomas (4)

Estou com dor de cabeça, por isto estou com pressão alta? Ou estou com a pressão alta, por isto estou com dor cabeça? Esse parece ser um dilema bastante comum na nossa prática clínica. Muitas vezes recebemos em consultas pacientes com queixa de dor de cabeça que resolveram procurar o cardiologista porque o conceito de dor de cabeça está sempre associado à hipertensão, ou mesmo porque, estiveram numa emergência com esse tipo de sintoma e a pressão verificada não estava nos valores costumeiros.

Nessa história existem verdades e mentiras. Até gostaríamos que todos os pacientes hipertensos tivessem dor de cabeça quando a pressão não estivesse controlada. Isso ajudaria a melhorar o que chamamos de adesão ao tratamento, mas essa doença cursa, em grande parte das pessoas (cerca de 50% delas), sem nenhum tipo de sintomas. A única maneira de sabermos se a pressão está alta é medindo-a de forma adequada e com equipamento confiável (devidamente calibrado).
 
Quando associada à pressão elevada a dor de cabeça que pode surgir é localizada na nuca (como uma sensação de peso), o paciente já acorda com ela (tem essa característica de ser matinal) e quando a pressão não é devidamente controlada pode evoluir para outros tipos de sintomas como: tonturas, perturbações visuais, náuseas e vômitos.

O curioso é que nem sempre existe correlação do nível de pressão atingido com a intensidade e freqüência da dor de cabeça, e os hipertensos mais antigos suportam (por adaptação dos vasos do cérebro) valores mais altos sem muita sintomatologia, e suportam menos variações bruscas para valores mais baixos.

Qualquer estímulo doloroso em qualquer parte do corpo pode ser determinante para o aparecimento de leves alterações na pressão arterial. O paciente pode chegar a uma emergência tendo levado uma topada que atingiu o dedo do pé (por isto como muita dor) e a sua pressão nesse momento ficar um pouco acima do normal. Da mesma forma, a dor de cabeça provocada por qualquer outro motivo (mais comum pela conhecida enxaqueca) pode também provocar aumento na pressão arterial. Nesse caso ressurge o dilema: quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha – estou com dor de cabeça, e por isto, estou com a pressão elevada, ou estou com a pressão elevada, e por isto estou com dor de cabeça.

Nesse caso, o melhor é: persistindo a dúvida procurar um médico – risos.

Marco Antônio Mota Gomes
Médico cardiologista
E-mail:
mota-gomes@uol.com.br

Voltar

Desenvolvido pela Gerência de Tecnologia da SBC - Todos os Direitos Reservados
© Copyright 19/12/2014 | Sociedade Brasileira de Cardiologia |
tecnologia@cardiol.br
 Busca